CALENDÁRIO
2016

VITRINE CULTURAL

Mesa de Debates

 

“Bonitinhos, Mas Ordinários”
Os olhares da arte, cinema e teatro se mesclam sobre Nelson. Os convidados poderão refletir em como a obra de Nelson avassala um homem e/ou um artista participando do bate-papo com os Bonitinhos, mas Ordinários. Um espaço criado para ouvir homens que são tocados pela dramaturgia rodriguiana.


Local:
Casa de Cultura Laura ALVIM

 

Dia: 26/09

Horário: : 20h

 

ENTRADA FRANCA

VITRINE CULTURAL

SERGIO SÁ LEITÃO

CEO da Escarlate Conteúdo Audiovisual e da Escarlate Experiências Criativas e diretor do Cine Odeon – Centro Cultural Luiz Severiano Ribeiro. Foi secretário Municipal de Cultural do Rio, diretor-Presidente da Rio Filme, além das funções de Chefe de Gabinete do Ministro da Cultura e de Secretário de Políticas Culturais do Ministério da Cultura, na gestão de Gilberto Gil. Foi membro do Conselho Petrobras Cultural e Vice-Presidente da Comissão Interamericana de Cultura (OEA) e Vice-Presidente da Associação das Distribuidoras Brasileiras (Adibra) . Na iniciativa privada, foi colunista da Folha de S. Paulo, editor no Jornal do Brasil e no Jornal dos Sports, além de ter trabalhado na AfroReggae Audiovisual, na Sentimental Filme, na Clear Channel Entertainment e na Rio Bravo Investimentos. Foi membro. Graduado em Jornalismo pela Escola de Comunicação da UFRJ e duas pós-graduações: Políticas Públicas (USP) e Marketing (Ibmec). Aos 14 anos, começou e leu a coletânea dos textos de Nelson Rodrigues e, desde jovem, foi incluenciado tanto na vida pessoal como profissional pela dramaturgia do autor.

 

PAULO DE MORAES

Premiado diretor da companhia Armazén Cia. de Teatro. Entre suas últimas montagens, ganhou melhor espetáculo com “ O Dia em que Sam Morreu”, em 2014, nos festivais Coup de Coeur (Avignon) e Fringe First Award (Edinburgh), além de eleito melhor espetáculo pela crítica da Folha de S. Paulo. Espetáculos como “A Ratoeira e o Gato” ", feitos através de uma colagem de textos de Michel de Ghelderode e Heiner Müller, e os clássicos "Esperando Godot", de Samuel Beckett, e "Alice Através do Espelho", a partir da obra de Lewis Carroll consagraram ao diretor prêmios importante e sucesso na bilheteria. Iniciou sua carreira teatral em Londrina, Paraná, em 1984, na montagem de “Toda a Nudez Será Castigada”, de Nelson Rodrigues, sob a direção de José Antonio Teodoro. Vinte e um anos depois, Paulo de Moraes assinou a direção da mesma peça, se dedicando ainda mais no universo de Nelson e ganhou melhor direção no Prêmio Shell.

 

TONICO PEREIRA

Ator que já interpretou vários personagens de Nelson Rodrigues no teatro, acredita que basta viver sem hipocrisia para nos aproximarmos da obra de Nelson e, sermos confirmação dos seus pensamentos nas práticas das relações humanas.

 

HERNANI HEFFNER

Hernani Heffner é curador adjunto e conservador-chefe da Cinemateca do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM) e professor do Curso de Cinema da Puc-Rio. Formado em Cinema pela UFF, trabalhou como pesquisador e restaurador na Cinédia e deu aulas na CINE-TV Paraná, Vilas das Artes (CE), Usina João Donato (AC), Fundação Getúlio Vargas (RJ e SP), Universidades Cãndido Mendes, Estácio de Sá e Federal Fluminense. Hernani Heffner é um historiador pesquisador de cinema que, durante seus trabalhos, recebeu grande influência de Nelson Rodrigues. Através do estudo dos textos do dramaturgo, Hernani participou de diversos eventos com fundamentos rodriguianos. Entre eles, palestras e seminários com a temática, como o Festival Centenário Ibsen, no qual foi palestrante em ‘’Ibsen e Nelson Rodrigues: Universos Paralelos’’. Neste ano, Hernani Heffner irá realizar uma mostra de filmes do autor na Cinemateca do MAM durante o Festival Internacional de Teatro da Língua Portuguesa, o FESTLIP.

 

 

 Todos os direitos reservados Talu Produções & Marketing